Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Towards Home

A casa-família que se vai construindo.

Towards Home

A casa-família que se vai construindo.

13 meses de Madalena

09
Nov10

A minha filha faz hoje 13 meses. 13 meses, Meu Deus!

Há 13 meses renasci.

A Madalena veio para fazer de mim uma pessoa melhor, mais capaz e mais forte. Já me fez mais feliz do que alguma vez eu vou conseguir fazer com que ela seja. É uma dívida para a vida toda!

A minha filha, como todos os filhos, é linda! Tem sido uma bebé fácil e simpática.

Ver a evolução dela tem sido uma das coisas mais espectaculares da minha vida. Não há nada que se compare a ser mãe. Ver os filhos dos outros a fazer a pitinha, a dizer adeus é giro. Nós achamos piada e dizemos que gostamos de bebés. Mas ver a minha filha a apontar com um dedo na mão, a tentar dançar e a dizer adeus é como receber um prémio Nobel. Não! É melhor do que receber o prémio Nobel.

Nem tudo tem sido fácil, já se sabe. Há birras, há noites muito mal passadas, há cansaço... Mas o saldo é definitivamente muito positivo.

Um sorriso dela e tudo se perdoa.

A Madalena é simpática, "mete conversa" com qualquer pessoa na rua, ri-se e aponta. Mesmo que as pessoas não lhe queiram ligar, não conseguem, porque ela é efusiva e demasiado comunicativa.

Come mal e está num percentil baixo, mas estamos a resolver o problema. Gosta de pegar na colher para comer sozinha e sujar a cozinha toda.

Gosta de água e anda na piscina desde os 6 meses. Cá em casa, o banho virou hora de esfregona na mão. No Verão, tomava banho na shantala, no pátio.

É refilona e opinativa. Na linguagem dela, farta-se mandar vir com tudo e todos, em voz alta e aborrecida.

É meiguinha. Dá beijinhos, abraços, faz festinhas.

Dá comida aos bonecos, abraça-os e dá-lhes beijinhos.

Adora o Gijo. Foi o primeiro ser que ela identificou. Houve uma fase em que gritava histérica, tipo fã dos Beatles, quando o via.

É activa e mexerica. Não há nada arrumado, quando ela está em casa.

Gosta de livros, de fotografias e quadros. Exige que lhos expliquem.

Não gosta de estar sozinha.

Caminha agarrada aos móveis e começa a tentar dar os primeiros passos sozinha, mas ainda tem muito medo.

Palra muito, mas ainda não articula palavras. Já disse mamã, papá, biá (Viriato), mas já deixou de dizer.

Sabe como faz a vaca e o cão.

Gosta muito do pai e da mãe, mas só pede o nosso colo, quando não está bem.

Dorme mais ou menos. Até aos seis meses, deu noites fáceis. Dos 6 aos 12 meses, teve noites muito, muito complicadas. Agora, está a voltar a regularizar. Acorda 2 vezes por noite.

Dorme no quarto dela, desde os 3 meses.

Nem sempre adormece sozinha, mas não é caso grave. Eu até gosto que ela peça colo. Como ela é agitada e mexida, quase nunca quer estar muito tempo seguido no colo. Assim, quando adormece no meu colo, eu fico ali, embevecida, a olhar para ela, a cheirá-la. Sinto-me um qualquer animal irracional a lamber a sua cria. A nossa animalidade emerge, quando temos filhos.

Sinto-me muito bem no papel de mãe. Foram poucas as vezes (mas já aconteceu) em que me senti cansada demais para apreciar dar-lhe banho, mudar-lhe a fralda, ou adormecê-la. Eu gosto mesmo muito de tratar da minha filha.

Fui mãe no momento certo. Tenho a melhor filha do mundo.

Nem tudo é perfeito, claro. Mas hoje não me apetece falar de imperfeições. Apetece-me dizer que me encontrei na minha filha e que me sinto muito maior e melhor pessoa.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.